Equipamentos de segurança que envolvem a construção

Qualquer tipo de área reúne determinados riscos e, por esse motivo, diversas normas são aplicadas para cada atividade em prol da proteção dos colaboradores no que diz respeito a sua saúde e integridade física.

Naturalmente, ao se tratar da construção civil, alguns setores podem apresentar riscos notórios, que exigem a aplicação de equipamentos e processos mais complexos devido à natureza das funções e ambiente.

Entre os principais riscos na construção civil, é possível citar:

  • Choques elétricos;
  • Queda de materiais;
  • Ausência de sinalização;
  • Queda de altura.

Sem dúvidas, as maneiras de lidar com cada caso pode variar e depende muito do administrador. De qualquer forma é fundamental que exista sempre atenção às normas compatíveis para garantir condições de trabalho adequadas.

Um grande exemplo é o trabalho em altura, que corresponde a qualquer serviço efetuado acima de 2 metros da base.

Todavia, é válido abordar que, embora edificações sejam comumente citadas, os trabalhos deste gênero também abrangem atividades subterrâneas e outras execuções em que há risco de queda.

Assim os equipamentos de segurança trabalho em altura devem ser fornecidos de forma gratuita pelo empregador, além da exigência de estarem em boas condições.

Entre os equipamentos comumente aplicados nestes casos, é possível citar luvas, capacete, óculos e calçados específicos.

A norma regulamentadora para este caso é a NR 35, que aborda principalmente o preparo adequado para a realização dos serviços propostos.

Assim como em qualquer caso, é crucial que o colaborador que atua em altura tenha treinamento e que o ambiente seja devidamente supervisionado para amenizar os riscos.

O que é linha de vida?

Ao se tratar de equipamentos de segurança e trabalhos em altura, as linhas de vida nr 35 é um elemento de grande destaque devido a versatilidade e segurança proporcionada.

Além disso, esse item é composto por uma corda ou cabo de aço, enquanto os pontos de ancoragem trabalho em altura para o cinto de segurança são trava-quedas, impedindo de forma imediata que o colaborador sofra um acidente.

Para a utilização de linhas de vida para trabalho em altura, é crucial que o funcionário realize o treinamento da NR 35, que abrange orientações, exames e a utilização adequada dos elementos.

As alternativas se divergem de acordo com as exigências e podem ser utilizadas coletivamente ou individualmente, instaladas na horizontal ou na vertical.

Além desses aspectos, é válido abordar que existem dois tipos de linhas de vida que se distinguem essencialmente de acordo com o período de utilização: as fixas e as temporárias.

Sendo que as primeiras alternativas podem ser mais vantajosas para evitar processos frequentes de instalação, como para manutenção em edificações.

O procedimento de instalação não envolve apenas um cabo e o ponto de ancoragem para linha de vida, outros fatores devem ser considerados para que a segurança seja potencializada, como um dimensionamento adequado.

Os cálculos devem considerar a quantidade de colaboradores permitida por trecho, assim como os pontos de ancoragem e os materiais.

Características do elevador para maca

Em alguns casos, para lidar com emergências, o elevador para maca pode ser necessário. São equipamentos cruciais para clínicas, hospitais e outros locais da área da saúde.

Sendo assim, caso ocorra algum tipo de acidente em uma obra, é provável que este item seja utilizado para o deslocamento de pacientes ou até mesmo de passageiros e enfermeiros.

Existem divergências entre os elevadores para as macas e os que são utilizados para passageiros, pois no primeiro caso, é preciso que a cabine seja maior para acondicionar um leito ou maca.

Além disso, naturalmente, as propriedades deste item podem variar de acordo com a empresa responsável, mas geralmente esse elevador é revestido por aço inoxidável, um material de grande resistência.

Os sistemas desses itens também devem ser considerados, pois na estrutura há controles de comando e sinalizações, ou seja, é preciso garantir recursos de qualidade e que promovam praticidade para os operadores, o que muitas vezes pode ser decisivo em situações de emergência.

Ao observar os fatores abordados como um todo, é válido notar que a variedade é muito comum ao se tratar de normas de segurança, o que só reforça a necessidade de que exista a conscientização por parte de empreendedores e funcionários.

Afinal, a utilização não envolve somente o cumprimento de normas vigentes, como também a redução significativa de riscos relacionados com acidentes que muitas vezes podem ser fatais.