Dicas para valorizar um imóvel antes de colocá-lo à venda

A avaliação imobiliária é um passo muito importante para garantir negociações de preço mais justas entre vendedor e comprador.

Se você está pensando em vender o seu imóvel, no entanto, é importante cuidar de alguns aspectos antes de apresentá-lo ao avaliador imobiliário.

Ainda que existam critérios que não possam ser facilmente alterados, como por exemplo a localização, é possível investir em pequenos detalhes que poderão ter grande influência na cotação do preço final.

Confira a seguir algumas dicas para que você esteja mais preparado na hora de vender o seu imóvel e consequentemente exigir uma avaliação mais justa do mesmo:

Tenha noção do valor do seu terreno e compare-o com outros da região

Antes de pensar em um valor base para o imóvel, é muito importante pesquisar o valor médio do metro quadrado do terreno, relacionado com do IPTU pago sob o mesmo.

Como cada cidade tem seus atrativos, um apartamento em Rio das Ostras possuirá o valor do metro quadrado médio diferente de uma casa em Cabo Frio.

Para chegar a um valor base mais preciso, levando características específicas do bairro onde está o imóvel, sugere-se realizar uma pesquisa em portais imobiliários, como o Ei Imóvel.

Basta verificar o valor de terrenos de tamanho similar que se encontram nos arredores do imóvel que será vendido.

Essa pesquisa resultará na obtenção de um valor médio mais preciso, visto que cada bairro tem suas características próprias.

Além do fato de que unidades de alto padrão normalmente se reúnem em bairros nobre e casas com acabamento mais básico ficam próximas à periferia.

Aspectos como a proximidade de supermercados, bancos e farmácias, acesso facilitado a serviços públicos ou grandes vias.

infraestrutura externa, como qualidade de asfaltamento, acesso à água, energia elétrica, rede de internet e tratamento de esgoto também são levados em conta.

Invista em equipamentos de segurança

A localização do imóvel também tem grande influência no aspecto de segurança. Verifique os índices de criminalidade do bairro e tipos de ocorrência frequentes.

Avalie a necessidade de investimentos mais pesados em equipamento de segurança, como muros altos, cercas elétricas, câmeras e sensores.

Portões automáticos de abertura rápida para garagens, chaves com segredo e apartamentos com porteiro 24 horas e elevadores codificados também são pontos relevantes que incidem diretamente no valor final do imóvel negociado.

Confira como o espaço do seu imóvel está distribuído

Mais importante do que a metragem final da casa ou apartamento é a distribuição do espaço entre os diferentes cômodos.

Normalmente imóveis mais amplos, com grande área construída são mais caros do que imóveis menores, mas você poderá atravessar esse obstáculo se possui um imóvel de tamanho regular com espaço bem distribuído entre quartos, banheiros e salas.

Por exemplo, casas com quartos e banheiros amplos podem ser mais atrativas que aquelas com salas enormes e quartos minúsculos.

Mantenha uma área de lazer bem cuidada

Áreas externas destinadas ao lazer, como parquinhos, churrasqueiras, quintais e jardins, costumam ser bastante valorizadas por certos tipos de públicos.

Famílias com crianças, por exemplo, dão preferência por imóveis que ofereçam essa vantagem, o que pode impactar no preço de negociação.

No entanto, o tamanho dessa área e o que nela se encontra devem ser analisados cuidadosamente.

Terrenos muito extensos com grandes quintais vazios podem ser desfavoráveis para quem busca praticidade.

Antes de colocar seu imóvel a venda, dê uma atenção especial ao cuidado com a área externa: corte a grama, plante flores, pinte os muros, invista em mobília e pense em potenciais usos dessa área para sugerir ao futuro dono do imóvel.

Atente-se a qualidade da estrutura e acabamentos

Um fator bastante relevante na hora de avaliar um imóvel é a idade do mesmo. Porém, mais importante do que a data da construção da edificação gravada na escritura é o cuidado com o qual o dono tratou o imóvel e o contexto no qual ele se encontra.

Unidades localizadas em edifícios históricos ou em bairros tradicionais costumam ser mais valorizadas do que aquelas construídas em bairros novos da cidade, que não provém de infraestrutura tão ampla. Saiba utilizar isso ao seu favor!

Ao mesmo tempo, dê atenção a detalhes estruturais como as condições de instalações elétricas e hidráulicas, materiais utilizados em construções e reformas, e a presença de facilidades como gás encanado.

Realizar uma reforma generalizada, investindo ao mesmo tempo em acabamentos de piso, pintura, pias, porcelanas e torneiras de boa qualidade poderão aumentar o valor do imóvel de forma considerável.

Reúna toda documentação

De que adianta investir em reformas no seu imóvel antes de colocá-lo a venda se o mesmo encontra-se com documentação atrasada ou irregular?

Esse aspecto, que em alguns casos pode ser decisivo na desistência da compra de um imóvel, é de responsabilidade do negociador, de maneira a valorizá-lo e realizar transações mais rápidas.

Caso não seja tratado adequadamente, os gastos com a regularização e documentação são abatidos do preço de negociação!

Entre as documentações que devem ser tomadas a devida atenção estão a escritura do mesmo e o certificado de quitação de impostos e taxas municipais, como o IPTU.

Peça ajuda especializada

Como são diversos os critérios levados em consideração numa avaliação imobiliária e durante o processo de negociação com potenciais compradores.

sugere-se que o vendedor do imóvel busque ajuda de um corretor, um engenheiro e/ou um arquiteto que entendam bem do assunto.

Esses profissionais poderão fornecer informações que muitas vezes são deixadas de lado ou ocultadas.

Uma imobiliária ou corretor de confiança também poderão facilitar a elaboração dos documentos de transação e o contato com potenciais compradores.

Nessa hora, toda ajuda é bem vinda, garantindo ganhos mais altos para ambas as partes.


8 dicas interessantes sobre decoração para home office

Boas ideias para home office ajudam a estilizar e maximizar o espaço para a criatividade

Se você trabalha em casa ou criou um espaço para algo que gosta, como artesanato, leitura ou escrita, seu escritório em casa é um local que deve inspirar o fluxo da criatividade e permitir que você comece a trabalhar. Mas, frequentemente, esse não é o caso.

De fato, os escritórios domésticos podem ser os espaços mais negligenciados em nossas casas – ambientes confusos e hostis de inspiração, levando-nos a trabalhar em qualquer lugar, exceto no escritório real, como o sofá, a cozinha ou a cama. 

Muita gente que gostaria de fazer um home office nem sempre sabe como compor o design de interiores dos seus escritórios domésticos, além de não ter ideias muito específicas sobre como criar um espaço elegante e funcional, de modo a criar um espaço de trabalho produtivo e prático.

Pensando nisso, este post oferece algumas dicas para compor um home office de maneira fácil e econômica para o seu escritório em casa, seja ela um apartamento pequeno ou uma grande casa de 3 quartos, através de pequenas ideias para home office que farão você querer relaxar e começar a trabalhar com muito mais determinação e bons resultados! Acompanhe!

1. Não se limite a móveis de escritório “oficiais”

Adoramos mesas de jantar como escrivaninha. Eles oferecem um espaço de trabalho mais substancial, onde você pode espalhar facilmente seu material de trabalho.

Da mesma forma, uma cadeira de jantar confortável e elegante funciona muito bem em uma mesa. Armar um lance de pele de carneiro para maior conforto e aconchego ou usar almofadas também é super válido.

Outra dica é: misture antigo e novo! Não tenha medo de roubar a decoração de outros cômodos da casa. Uma mistura de vintage e moderno faz com que a casa seja acolhedora, acolhida e pessoal, em vez de parecer um showroom.

Caso não tenha nada antigo em casa, compre uma escrivaninha, por exemplo, em lojas de antiguidades, mercados de pulgas e até mesmo na internet! Você pode encontrar outras peças para o seu escritório assim, como uma luminária vintage,  combinando-as com itens novos, como um par de cadeiras vibrantes.

2. A cor da parede pode ser decorativa e funcional

Dê um pouco de vida ao seu espaço, para que você queira ficar mais tempo. Considere fazer uma parede com tinta para quadro branco ou quadro-negro – é uma maneira permanente (e verde!) de abrigar suas ideias e listas de tarefas.

Tento garantir um escritório em casa equilibrado, prático, ergonômico, confortável e asseado: isso tudo lhe dará ânimo para a hora de trabalhar. Mantenha os móveis simples e limpos para torná-los mais elegantes e adicione uma folhagem verde para dar textura ao ambiente!

3. Adicione um tapete para aconchegar o ambiente

Um tapete é uma ótima maneira de adicionar cor e textura a um escritório. Você vai adorar trabalhar em um espaço onde o toque de cor e personalidade está no chão. Também é uma ótima maneira de reunir toda a sala.

Cores neutras nas paredes e no chão, combinadas com madeira natural, plantas e algum tipo de tecido, como cobertores, travesseiros, tapetes ou uma tapeçaria de fios, criam um espaço de trabalho simples e aconchegante. 

4. Use uma boa iluminação!

A iluminação pode fazer toda a diferença em um escritório, tanto esteticamente quanto funcionalmente (quem é produtivo trabalhando no escuro?). Recomendamos iluminação superior, bem como luminária de mesa ou de pé. Além do mais, mantenha-se conectado ao ar livre por meio da luz natural.

Ela faz um espaço parecer maior – o que é sempre uma vantagem em um espaço pequeno, como é o caso de muitos home offices. Isso permitirá luz suficiente ao longo do dia, sendo uma boa opção para economizar energia, além de contribuir para a vida das plantas do seu escritório! E quando você se sente vivo, acabará sempre mais eficiente!

5. Pense fora do armário!

Se não possui arquivos para armazenamento, o uso de prateleiras flutuantes são uma maneira eficiente de armazenar itens de que você precisa sempre à mão, sem sacrificar seu espaço valioso.

Além disso, eles acrescentam interesse e calor a uma parede lisa. Considere usar pastas coloridas por temas, clientes ou perfil de trabalho desenvolvido para guardar materiais e arquivos de escritório com estilo. 

6. Traga o exterior para dentro

Todo escritório (e mesa de trabalho!) precisa de pelo menos a presença de uma plantinha para ter vida e alegria – elas são comprovadamente impulsionadores da produtividade. Além do mais, reduzem o estresse, melhoram a qualidade do ar e também aumentam o foco e a eficiência de trabalho.

Em espaços pequenos, o que não é o caso de um apartamento com 3 quartos, por exemplo, mas aqueles que possuem menos de 80 metros quadrados, você pode ter uma planta suculenta simples ou uma planta maior, num vaso decorativo. 

7. Torne seu espaço a sua cara!

Se há algo em que todos os nossos designers concordam, é que o seu escritório em casa precisa refletir você e seu estilo. Adicione toques pessoais – um item especial que você ama, algo que encontrou durante as férias, um achado vintage. Qualquer coisa que faça seu espaço parecer exclusivamente seu, transpirando sua personalidade.

Portanto, não tenha medo de dar tudo de si. Outra dica é estilizar uma parede com quadros: você pode organizá-los primeiro no chão, até obter a aparência harmoniosa desejada. Use fita adesiva de parede para segurar seus quadros, de modo a não precisar usar pregos. Isso permitirá a flexibilidade de alterar a aparência das paredes sempre que desejar!

8. Use cores e imagens vivas para decorar!

Decore com imagens que falam com você. Mesmo se você estiver analisando números o dia todo. Encha seu escritório com arte vibrante para energizar seu espaço e fazer você se sentir motivado. Escolha cores que falem com você também, que te tragam uma sensação dinâmica e boa – não o que está na moda!

Então agora você possui estas 8 dicas para trazer estilo e funcionalidade ao seu home office, aproveite para começar a planejar sua decoração! Enquanto isso, aproveite para compartilhar este post em suas redes sociais!